skip to Main Content
19 98702 2500 tatianafesti@gmail.com
MUDANÇA DE PAÍS E CRESCIMENTO PESSOAL

MUDANÇA DE PAÍS E CRESCIMENTO PESSOAL

Mudar de país significa ir ao encontro do NOVO.

 

Não apenas o novo que habita na fala incompreendida ou nos hábitos distintos. Mudar de país também significa ir ao encontro do novo que passará a habitar dentro de nós mesmos.

 

Ao nos deslocamos fisicamente, nos abrimos para a possibilidade de nos “deslocarmos” internamente.

 

Para a possibilidade do encontro com emoções, reações, sentimentos e pensamentos que não conhecíamos ou pouco havíamos explorado antes.

 

E é com o encantamento, as lágrimas, alegrias e contradições que essas mudanças geram que eu me deparo todos os dias junto aos meus pacientes.

 

E pensando a respeito desta realidade me senti motivada a escrever brevemente sobre 3 aspectos destas mudanças que vejo como recorrentes. O assunto não se esgota, apenas se inaugura neste texto!

 

1          JULGAMENTO

No Brasil, nosso idioma, nosso trabalho, nossa rotina, amigos e familiares eram referências que nos ajudavam a nos definir, a nos identificar no mundo e, quando mudamos de país, perdemos praticamente todas elas. Toda esta dinâmica gera a necessidade de um aprendizado constante e em muitos aspectos precisamos recomeçar do zero.

A vivencia com pessoas de culturas diversas nos ensina a simplesmente respeitar as diferenças e aos poucos nossos julgamentos em relação ao outro diminui. Podemos nos tornar mais humildes, aprendendo a aceitar mais e melhor nossas limitações e as limitações do outro.

 

2          CULPA, UM VISITANTE INDESEJADO, MAS PERSISTENTE.

Ao mesmo tempo em que ganhamos em qualidade de vida, que ampliamos nossa cultura e que fazemos novas amizades também encaramos algumas perdas. Não poderemos mais estar presente em todos os aniversários, nos casamentos, nascimentos ou até mesmo chorar a perda de alguém querido ao lado de quem amamos.

 

E, diante destas perdas, a culpa pode passar a nos visitar. E ela nos visita tanto nos momentos em que não poderemos estar presentes como gostaríamos, quanto em momentos em que estamos viajando, conhecendo novos lugares e nos realizando enquanto nossa família está privada destas experiências todas.

 

Mudar de país gera um impacto importante na nossa vida psíquica e emocional. Temos uma oportunidade ímpar de amadurecer e será justamente este amadurecimento que nos ensinará a superar as dificuldades que enfrentamos e a manejar culpa que em muitos momentos sentimos.

 

3          AUTOCONHECIMENTO

Durante esse processo acabamos nos conhecendo melhor, descobrindo que o que realmente nos define está dentro de nós, em quem somos, independentemente de onde estivermos.

A vida no exterior ensina que nossas raízes não dependem de localização geográfica, nossas raízes estão onde nosso coração está e nosso sentido de lar pode mudar radicalmente.

 

Esses são apenas 3 exemplos de mudanças que vivenciamos quando moramos no exterior. Você também as vivencia? E se não, quais mudanças no âmbito pessoal e psicológico percebe em si mesmo?

 

Tatiana Festi – Psicóloga Clínica com 13 anos de atuação. Graduada pela Universidade Estadual de Maringá e pós-graduada em Psicologia Junguiana. Além de sua experiência pessoal em morar no exterior, a autora se especializa em questões clínicas referentes a diferenças culturais, residentes no exterior, expatriados e relacionamentos interculturais. Há alguns anos se dedica exclusivamente à psicoterapia on-line.

Clique aqui  e agende sua sessão online

 

 

Imagem <a href=”https://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/fundo”>Fundo foto criado por freepik – br.freepik.com</a>

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top